Rodrigo Sant’Ana e Fábio Biffi como mentores voluntários no Projete 2019

A formatura dos alunos e os relatos de como a educação social transformou suas vidas, é, sem dúvida, uma das partes mais gratificantes de todo o trabalho desenvolvido no Projete. Porém, até a última fase ser completada, existem processos que passam pelas mãos de pessoas essenciais para que o sucesso do projeto seja garantido, e entre eles está o mais importante de toda essa trajetória: o trabalho voluntário.

Entre todas as parcerias, a dos mentores voluntários é fundamental para que o projeto aconteça. São eles que escolhem temas de cidadania e educação financeira para repassar aos alunos todo conhecimento possível. Isso, aliado à própria experiência pessoal dos mentores no mercado de trabalho, ajuda a mudar a trajetória e visão de muitos jovens que chegam ao Projete sem um objetivo de vida traçado.

Um dos grandes exemplos de mentor voluntário parceiro é o Coordenador de Controladoria da ValorUp Rodrigo Sant’Ana da Silva, de 32 anos. A história de Rodrigo se cruzou com o Projete no ano de 2013, quando ainda trabalhava em uma outra empresa parceira e fundadora do trabalho social, a PWC. Convidado por e-mail como os demais funcionários, Rodrigo decidiu arriscar em passar seu conhecimento a jovens de 15 a 17 anos.

Rodrigo Sant’ana, coordenador de controladoria da ValorUp

“Foi uma experiência ótima, os alunos interagiram comigo e com os outros voluntários. A aula foi de Educação Financeira, ensinamos o valor de guardar dinheiro para alcançar determinado objetivo de vida, por exemplo ter uma casa, carro etc.”, relembra o coordenador de controladoria.

Hoje, Rodrigo já conta com oito mentorias realizadas no Projete, abordando diversas temáticas, desde educação financeira até o planejamento dos projetos finais dos alunos. Ele afirma que se orgulha por ter participado de histórias com novos finais, como de alguns alunos que foram trabalhar em grandes empresas ou outros que reuniram toda determinação e vontade para alcançar objetivos pessoais.

A certeza da contribuição a essas vidas vem da própria trajetória compartilhada com eles, na qual Rodrigo teve um início simples e humilde, mas determinado a conquistar suas próprias metas.

“A importância é de fazer o bem e aprender cada vez mais com as turmas novas. […] Aprendi muito com as turmas que dei aula e levo isso na minha vida sempre: ouvir a todos e dar valor às coisas mais simples na vida. Recomendo muito a todos que participem desse projeto”, conclui.

Rodrigo Sant’Ana em mentoria na Turma Vermelha do Projete 2019

Texto escrito por Bruna Martinelli

Blog

Comentários desabilitados.